Escrevendo como se estivéssemos conversando no Rio

Esta es la sección escuela donde se podrá aprender todo lo relacionado con la lengua portuguesa. “Conjugación de verbos”. “Palabras difíciles” Significados curiosos” “Bad friends o Falsos amigos” (palabras que parecen ser iguales pero quieren decir otra cosa). “Pronunciación” “Reglas 0rtográficas” etc.

Moderadores: Horacio, lcaponi

Avatar de Usuario
Horacio
Moderador
Mensajes: 2230
Registrado: Jue Ene 20, 2011 5:17 am
Ubicación: Goiania-Goias

Re: Escrevendo como se estivéssemos conversando no Rio

Mensaje por Horacio » Mar Ago 13, 2013 12:05 pm

Sacanagem é o que fazem comigo, soy de Independiente y estoy obligado a usar un jeep con esos colores.

Imagen
Imagen
Nombre: Horacio
Edad: 57
Sexo: M
Estado civil: Soltero
Hijos: 1
Lugar de procedencia: General Pacheco- Buenos Aires
Lugar donde vive actualmente: Brasilia-DF
Tipo de residencia: residente permanente

Ubuntu - Hakuna Matata

Nicolas13
Mensajes: 27
Registrado: Dom Feb 17, 2013 2:10 am
Ubicación: BAires

Re: Escrevendo como se estivéssemos conversando no Rio

Mensaje por Nicolas13 » Mar Ago 13, 2013 12:49 pm

Oi gente, vou responder tudo em português, que preciso treinar um pouco a minha escrita. Acho que, a estas alturas, se não todos, a maioria das pessoas que freqüentam essa parte do fórum vão entender.

Horacio, embora não saiba nem os nomes dos jogadores nem como vai na tabela (sou mais ligado à música que ao futebol), eu torço pro River. Se fosse eu que tivesse que usar um jipe desses eu falava que é dessas cores porque é sueco, não é do Boca não... deu sorte que é azul-claro em vez de azul-escuro, aí não saberia como me safar...

Laura, se bem eu conhecia os dois significados de sacanagem, sempre a associei mais ao significado mais "leve" de "joda/broma", acho que devido a que a escutei mias vezes neste sentido, embora eu a use sem pensar muito.
Aliás, imagino que todos os que vêm aqui têm a intenção de melhorar o português, sem eu ser perito no assunto, permita-me uma colaboração: talvez você não tenha reparado quando você redigiu a frase "é como se alguem fala pelas costelas" na sua explicação para sacanagem, você utilizou a palavra "costelas" pode ter sido simplesmente um erro de escrita rápida, mas por via das dúvidas, lembre que costas= espalda, já costelas= costillas.
Vamos esperar pelo significado de "Limpeza!", qualquer hora dessas o Flávio aparece e mata a charada..

O dicionário informal é bastante útil, contudo muitas vezes só acho significados de outras regiões que não a que me interessa, sempre tem que prestar atenção na região pra não enganar-se respeito ao que a gente fala, já que as vezes o significado da palavra numa região nada tem a ver com o significado utilizado em outra. A meu ver, sempre é bom olhar primeiro num dicionário dos normais, como o Houaiss ou o Aurélio, que geralmente contém as acepções usadas em todo o Brasil, além de regionalismos. Ambos contam com versões eletrônicas muito úteis!
Nombre: Nicolás
Edad: 27
Sexo: Masculino
Estado civil: Soltero
Hijos: No
Lugar de procedencia: C.A.B.A.
Lugar donde vivo actualmente: Buenos Aires
Tipo de residencia: nacionalidade brasileira (jus sanguinis)

Avatar de Usuario
LauraDC
Mensajes: 81
Registrado: Mié Jun 12, 2013 12:15 pm

Re: Escrevendo como se estivéssemos conversando no Rio

Mensaje por LauraDC » Mar Ago 13, 2013 3:44 pm

Oi Nicolás:
Obrigada pela colaboração, porque com certeza queria dizer costas (espalda), mas quando escrevi pus costelas.
Não reparei quando escrevi nem tampouco fiz uma revisão...
Abraço.
Laura
Nombre: Laura
Edad: 45 años
Sexo: femenino
Estado civil: soltera
Hijos: ninguno
Lugar de procedencia: Mar del Plata
Lugar donde vivo actualmente: Maceió
Tipo de Residencia: permanente

Raidner
Mensajes: 346
Registrado: Mié Ene 04, 2012 10:17 pm

Re: Escrevendo como se estivéssemos conversando no Rio

Mensaje por Raidner » Mar Ago 13, 2013 11:47 pm

Nicolás, peço-lhe desculpas pela falta de resposta, porque não tinha lido sua mensagem.

Limpeza e sujeira são palavras que podem ter um sentido conotativo.
"Limpeza" pode significar uma situação qualquer contra a qual não haja impedimentos ou vigilância.

Exemplo: João é um aluno que quer sair da escola antes do fim da aula, mas há um inspetor que normalmente toma conta do portão para evitar as saídas antes da hora. João pede a Pedro, seu amigo, para ver se o inspetor está no local, o que impediria sua fuga. Se o portão estiver livre, Pedro lhe dirá: - Limpeza! Pode vir que ele não está.

Frequentemente, "limpeza", com esse sentido, diz respeito à ausência de impedimento ou vigilância para fazer o que não é certo.
Um sujeito quer praticar um roubo. Se não houver vigilância ou policiamento, seu comparsa lhe dirá: - Está "limpeza"! (ou Está "limpo"! ou, simplesmente, "Limpo"!)

"Sujeira", ao contrário, com sentido conotativo, é a presença de impedimento ou vigilância.
Naquela situação em que o aluno quer ir embora antes do fim da aula, Pedro, seu amigo, lhe diria o seguinte, se o inspetor estivesse no local: - Sujeira!

Se o inspetor retornasse ao seu posto quando João estivese no meio do caminho, Pedro, seu amigo, o avisaria: - Volta! Pintou "sujeira"!

Diz-se "pintou sujeira" quando a "sujeira" (a vigilância/impedimento) aparece.
"Pintar" é muito usado com um sentido conotativo de "aparecer" ou "surgir".
Exemplo: "pintou um clima!" = Surgiu um "clima!". "Clima", aqui, significa uma situação de atração sexual recíproca.

Ex: Pela jogada de Messi, vi o gol pintando (aparecendo).

Vou voltar ao tema "sacanagem".
Sacanagem também tem um sentido de prática sexual flagrada, descoberta.
Exemplo: você flagra um casal no ato sexual e diz para os dois: - Peguei vocês de sacanagem!
Obs1: "pegar", aqui, é o mesmo que "flagrar", "descobrir".

Sacanagem também é o ato desonesto, como a corrupção e o estelionato.
Um político ladrão, desonesto, é um sujeito que sacaneia o povo.

Antigamente, havia maiores reservas quanto ao emprego de certas palavras em ambientes públicos ou formais, por carregarem um tom algo obsceno ou vulgar. São os chamados "palavrões" (palabrotas). Hoje em dia, isso está, ao que me parece, tendendo ao desparecimento (ao menos com algumas palavras). Um filho normalmente não dizia um palavrão perante os pais. Sacanagem é uma dessas que era tida como palavrão. Não sei se ainda hoje é assim. Creio que não, porque tenho ouvido em todos os lados. De qualquer modo, recomendo cautela no emprego em ambientes mais formais. Pode pegar mal (pegar mal = ser deselegante ou inadequado).


Nicolás, se me permite, farei algumas observações:
a) "...a maioria das pessoas que freqüentam essa parte do fórum vão entender...."
O núcleo do sujeito da oração é "maioria", no singular. O verbo deve concordar com o núcleo do sujeito. Logo:

" a maioria das pessoas que FREQUENTA essa parte do fórum vão entender..."

b) frequentar se escreve sem trema, pois a última reforma ortográfica extinguiu esse sinal.

c) "Se fosse eu que tivesse que usar um jipe desses eu falava que é dessas cores porque é sueco..."
O certo é: "Se eu tivesse que usar um jipe desses eu falaria que é dessas cores porque é sueco..."
Obs: "tivesse + falaria"
O pretérito imperfeito, usado nas construções em que se expressa a ideia de condição ou desejo, é associado ao futuro do pretérito. É semelhante, em Inglês, ao If Clause, no Second Conditional.

Avatar de Usuario
Horacio
Moderador
Mensajes: 2230
Registrado: Jue Ene 20, 2011 5:17 am
Ubicación: Goiania-Goias

Re: Escrevendo como se estivéssemos conversando no Rio

Mensaje por Horacio » Mié Ago 14, 2013 9:28 am

Flavio, en español es igual, "si yo tuviese/tuviera que usar un jeep de esos, diría (decir) que es sueco.
Nombre: Horacio
Edad: 57
Sexo: M
Estado civil: Soltero
Hijos: 1
Lugar de procedencia: General Pacheco- Buenos Aires
Lugar donde vive actualmente: Brasilia-DF
Tipo de residencia: residente permanente

Ubuntu - Hakuna Matata

Nicolas13
Mensajes: 27
Registrado: Dom Feb 17, 2013 2:10 am
Ubicación: BAires

Re: Escrevendo como se estivéssemos conversando no Rio

Mensaje por Nicolas13 » Mié Ago 14, 2013 9:28 am

Oi Flávio! como vai? não precisa pedir desculpas não, eu imaginei que você não tinha visto a mensagem.
Quis, para dar mais um exemplo, usar a palavra sacanagem no sentido em que geralmente a escuto, aí me véio a idéia de usá-la nessa frase (já sei, já sei: idéia não se escreve mais idéia, mas ideia, por causa do novo acordo que eu acho não veio para ajudar em nada, pra que escrever uma palavra igual em vários países se ela é usada neles com significados diferentes? daí que às vezes teime em escrever "à antiga" usando o trema e tal.. algumas vezes é teimosia, outras é que esqueço mesmo pois ainda estou no processo de aprender as regras do novo acordo, desculpem aí).

Também queria te dizer obrigado! por tirar nossa dúvida respeito a "limpeza!" e pelas outras observações: pode fazê-las quando quiser que eu ficarei muito grato, pois dessa maneira vejo aonde que tenho que focar minha atenção pra melhorar a minha escrita e frear as interferências do castellano.

Para a observação b) não vou comentar nada além do comentado no primeiro parágrafo;
Para a c), saiba que sei que o correto é "falaria" e não "falava". Porém não é, ainda que coloquialmente, mais utilizado "falava"? escrevi assim porque achei que fosse o caso (talvez levei muito ao pé da letra a intenção desta seção de escrever como se estivéssemos conversando no Rio);

No caso da observação a), eu reconheço, muitas vezes esqueço dessa concordância.. uma das interferências do castellano, suponho, se bem que quando penso em como seria no castellano eu acho que poderia ser das duas maneiras.
Pergunta: você disse que em
"...a maioria das pessoas que freqüentam essa parte do fórum vão entender...." O núcleo do sujeito da oração é "maioria", no singular. O verbo deve concordar com o núcleo do sujeito. Logo: " a maioria das pessoas que FREQUENTA essa parte do fórum vão entender..."
agora vendo de novo acho que deveria ter feito concordar o outro verbo, "ir", ficando "a maioria das pessoas que FREQUENTA essa parte do fórum VAI entender..."? pois se tirarmos da oração a parte "das pessoas que frequentam essa parte fórum" ficará "a maioria vai entender" que está certíssimo, né?
Tá vendo de onde vem minha grande confusão? nessa parte que tirei só vejo correto escrever "das pessoas que frequentaM esse fórum".. acho que é porque penso que a frase original seria "os que frequentam" ou "as pessoas que frequentam" então ao adicionar "a maioria" à oração, que troco as bolas (meus anos de estudar análise de orações na escola já se passaram há muito tempo). ih! tô vendo que preciso repassar essas coisas pra não errar feio no Celpe..
Por outro lado, se a oração fosse "a maioria dos que (verbo frequentar)...", continuaria sendo "a maioria" o núcleo do sujeito? cumprindo utilizar "frequenta" e "vai", ou poderia usar "frequentam" e "vai"?
Me ajuda com isso?

Bom, valeu de novo Flávio pela ajuda com o português!!!
Até logo pessoal! e desculpem se fui um pouco extenso..
Nombre: Nicolás
Edad: 27
Sexo: Masculino
Estado civil: Soltero
Hijos: No
Lugar de procedencia: C.A.B.A.
Lugar donde vivo actualmente: Buenos Aires
Tipo de residencia: nacionalidade brasileira (jus sanguinis)

Avatar de Usuario
Horacio
Moderador
Mensajes: 2230
Registrado: Jue Ene 20, 2011 5:17 am
Ubicación: Goiania-Goias

Re: Escrevendo como se estivéssemos conversando no Rio

Mensaje por Horacio » Mié Ago 14, 2013 10:02 am

Hola Nicolas,

Sabemos que la mayoria de la veces el uso cotidiano de la lengua no es el correcto, tanto en español como en portugues,
por eso la creacion de este tópico, es más, si hablas correctamente no te entienden, jaja!!

en esa oración, hay un analisis que no mostraste, decimos: "la mayoria de las personas que frecuenta(m?) este foro",
para saber que es lo correcto podemos decir: "la mayoria que frecuenta este foro",
podemos ver la concordancia entre mayoria y frecuenta, lógico, cuando estas escribiendo online nunca vas a parar para hacer ese analisis,
hoy en dia lo que mas encontramos son errores de escritura online, asi que no te preocupes.

Un cordial saludo
Nombre: Horacio
Edad: 57
Sexo: M
Estado civil: Soltero
Hijos: 1
Lugar de procedencia: General Pacheco- Buenos Aires
Lugar donde vive actualmente: Brasilia-DF
Tipo de residencia: residente permanente

Ubuntu - Hakuna Matata

Raidner
Mensajes: 346
Registrado: Mié Ene 04, 2012 10:17 pm

Re: Escrevendo como se estivéssemos conversando no Rio

Mensaje por Raidner » Jue Ago 15, 2013 12:14 am

Nicolás, quando sugeri o "escrevendo como se estivéssemos" pensei na linguagem coloquial, mas correta. Por isso, tenho trazido gírias e outras expressões que fazem parte da conversa cotidiana, sem fugir, entretanto, (muito) do padrão da língua. As observações que fiz, em relação à sua escrita, não fogem da conversa coloquial, porém dentro das regras cultas.

Por exemplo, em certo trecho, você escreveu: "... pois dessa maneira vejo aonde ...". É extremamente comum o uso incorreto de "aonde" no lugar de "onde". "Aonde" = "a" + "onde". Ou seja, você deve usar "aonde" quando a regência verbal exigir a preposição "a" para fazer conexão com um lugar. É o caso de verbo ir. Ex: vou aonde você me pedir (quem vai, vai A algum lugar). O verbo ver não "opera" com a preposição "a". Você, porém, escreveu como muitas pessoas escrevem e falam coloquialmente, empregando "aonde", mas empregando com erro. Claro que, no meio de uma conversa, as pessoas não corrigirão esse erro, mas, por outro lado, muitas outras (que sabem o que é o certo) vão perceber.

Eu também errei ao não perceber o verbo ir, na expressão: "...a maioria das pessoas que freqüentam essa parte do fórum vão entender....". Eu me fixei no verbo mais próximo do sujeito e não vi o que estava mais afastado. Mas o sujeito dos dois verbos é o mesmo. Assim, o padrão culto da língua é: "...a maioria das pessoas que frequentam essa parte do fórum vai entender...."

Você me pergunta: em "e a maioria dos que ....", o verbo é conjugado no singular ou no plural. Vou responder.
Qual você acredita que esteja certo: colocar o verbo no singular ou plural?
Qual é o certo: a maioria das pessoas viajaram ou viajou à noite.

Veja que o sujeito “A maioria das pessoas” tem o núcleo no singular: maioria. No entanto, este último é seguido de uma palavra no plural: pessoas.
Chamamos de sujeito “coletivo partitivo” o termo no plural (pessoas, indivíduos, crianças, condôminos, empresários, funcionários, etc.) em associação com o núcleo do sujeito no singular que expressa quantidade (parte, maioria). Dizem alguns autores que a concordância, nesse caso, pode ser feita tanto com o núcleo do sujeito (e, então, ficará no singular: "viajou") quanto com o substantivo após o núcleo (e, portanto, ficará no plural: "viajaram"). Contudo, esses mesmos autores afirmam que a concordância verbal no singular é a adotada pela norma culta e também é a mais usual em veículos de comunicação.
A concordância por atração ("a maioria das pessoas viajaram à noite") parece mais agradável aos ouvidos. Por isso, muita gente prefere usá-la. Eu, particularmente, prefiro o padrão culto da língua.

E em " a maioria dos que", usa-se "frequenta" ou "frequentam"? Perceba que há um termo plural que está escondido.
A maioria dos (homens/ doentes/heróis) que "frequenta" ou "frequentam"? A resposta segue o que escrevi acima.

Nicolas13
Mensajes: 27
Registrado: Dom Feb 17, 2013 2:10 am
Ubicación: BAires

Re: Escrevendo como se estivéssemos conversando no Rio

Mensaje por Nicolas13 » Jue Ago 15, 2013 10:57 am

Raidner escribió:Nicolás, quando sugeri o "escrevendo como se estivéssemos" pensei na linguagem coloquial, mas correta.
Falou! vou reparar mais nisso, ou pelo menos vou observar de não escrever mais usando pretérito imperfeito de subjuntivo+pretérito imperfeito do indicativo..
Raidner escribió:Por exemplo, em certo trecho, você escreveu: "... pois dessa maneira vejo aonde ...". É extremamente comum o uso incorreto de "aonde" no lugar de "onde".
Tá certíssimo, sei disso mas sempre esqueço! sabe como é né? como Horacio bem disse antes, muitas vezes, se falamos (ou tentamos falar) tudo dentro da norma culta, não nos entendem ou nos acham meio esquisitos, sei lá, vindos do Portugal onde respeitam mais a norma culta.. imagine, eu tenho 27 anos, a não ser que eu vá falar num encontro de acadêmicos (mas eu não vou), a maioria das pessoas com as quais falo quando vou ao Rio não fala corretamente, isso, somado a que aqui na Argentina eu praticamente não uso o português, faz que muitas vezes utilize a forma errada, embora depois me lembre da certa.

Voltando ao tema da concordância..
Horacio escribió:En esa oración, hay un analisis que no mostraste, decimos: "la mayoria de las personas que frecuenta(m?) este foro"
Hola horacio! como estas? Yo no sé si correctamente o no, hago la concordancia dependiendo de la frase, con otro ejemplo talvez se entienda más:
Para la oración "La mayoria de las personas (que fueron) encuestadas respondió afirmativamente a las preguntas" (que estimo está bien escrita) mi razonamiento es que son como dos oraciones una dentro de otra, una seria "las personas que fueron encuestadas" -y acá claramente creo que no díriamos "las personas encuestadA" ni "las personas que FUE encuestadA", en singular-, y la otra seria "La mayoria (...) respondió afirmativamente a las preguntas".
Si traslado este razonamiento a la primer frase, yo creo que seguiria diciendo "la mayoria (de las personas que frecuentAN este foro) va a entender", concordando uno en plural y el otro en singular por lo menos en castellano.. quienes frecuentan este foro? las personas, ambos plural; quien va a entender? la mayoria de las personas, singular... esto es lo que sin querer traslado al portugués, no sé si bien o mal...

Ai! desculpe-me Flávio, por insistir com isso e fazer-lhe perder tanto tempo, mas ainda estou confuso, talvez por causa das variações que propus para a frase, veja:
Quando você me pergunta qual é o certo: a maioria das pessoas viajaram ou viajou à noite? aí sem nenhum rasto de dúvida eu lhe digo que a resposta correta é viajou! que é que viajou? a maioria..
Contudo, minha oração original era mais complexa, e no terceiro parágrafo você escreveu:
Mas o sujeito dos dois verbos é o mesmo.
Mas você continuou escrevendo
Assim, o padrão culto da língua é: "...a maioria das pessoas que frequentam essa parte do fórum vai entender...."
flexionando "frequentar" em plural e "ir" em singular, coincidindo assim com meu raciocínio para o castellano, e contrariando (talvez foi sem querer) a primeira afirmação.. se é desse jeito, concordo plenamente e entendo, mas se a norma culta pede para utilizar os dois em singular, aí vou ter que fazer um esforço pra meter isso na minha cabeça e lembrá-lo..
Nombre: Nicolás
Edad: 27
Sexo: Masculino
Estado civil: Soltero
Hijos: No
Lugar de procedencia: C.A.B.A.
Lugar donde vivo actualmente: Buenos Aires
Tipo de residencia: nacionalidade brasileira (jus sanguinis)

Avatar de Usuario
Horacio
Moderador
Mensajes: 2230
Registrado: Jue Ene 20, 2011 5:17 am
Ubicación: Goiania-Goias

Re: Escrevendo como se estivéssemos conversando no Rio

Mensaje por Horacio » Jue Ago 15, 2013 3:11 pm

Hola Nicolas,

fijate que vos mismo estas confirmando lo que dije, en la frase "la mayoria de las personas encuestadas respondió afirmativamente a las preguntas"
veamos la concordancia con el verbo, tu confusion es que el verbo es "respondió" y esta en singular, ¿ves?, encuestadas no es verbo,
entonces quedaría "la mayoria respondió"y terminamos en mi razonamiento.

Un cordial saludo.
Nombre: Horacio
Edad: 57
Sexo: M
Estado civil: Soltero
Hijos: 1
Lugar de procedencia: General Pacheco- Buenos Aires
Lugar donde vive actualmente: Brasilia-DF
Tipo de residencia: residente permanente

Ubuntu - Hakuna Matata

Nicolas13
Mensajes: 27
Registrado: Dom Feb 17, 2013 2:10 am
Ubicación: BAires

Re: Escrevendo como se estivéssemos conversando no Rio

Mensaje por Nicolas13 » Jue Ago 15, 2013 4:00 pm

Claro Horacio! la duda no la planteo sobre el verbo final, "responder" en el caso del ejemplo con la encuesta, "ir" en el otro ejemplo, ahi está más que claro que corresponde el singular, como bien le dije a Flávio en mi respuesta a su pregunta "qual é o certo: a maioria das pessoas viajaram ou viajou à noite?"; sino que el planteo es sobre el otro verbo: en la frase que Flávio me corrigió, nos dijo que frequentar era el verbo que iba en singular (cuando no habia visto el verbo "ver" al final), cuando para mi ese frequentar modifica a "las personas"; por eso en el ej. de la encuesta entre paréntesis puse "(que fueron) encuestadas" ahi el verbo "ser" está en plural...

Saludos!
Nombre: Nicolás
Edad: 27
Sexo: Masculino
Estado civil: Soltero
Hijos: No
Lugar de procedencia: C.A.B.A.
Lugar donde vivo actualmente: Buenos Aires
Tipo de residencia: nacionalidade brasileira (jus sanguinis)

Avatar de Usuario
Horacio
Moderador
Mensajes: 2230
Registrado: Jue Ene 20, 2011 5:17 am
Ubicación: Goiania-Goias

Re: Escrevendo como se estivéssemos conversando no Rio

Mensaje por Horacio » Jue Ago 15, 2013 6:12 pm

Hola
Si hacemos explicito el verbo "ser", lo correcto, no siempre lo real, sería:
"la mayoria de las personas que fue encuestada",
"las personas que fueron encuestadas"
en realidad casi siempre se usa "la mayoria de los encuestados" donde sacamos el verbo que es el que siempre causa la confusion.

otros ejemplos:
la mayoria de las personas fue encuestada antes del mediodia,
la mayoria de las personas fue encuestada por el canal zz
las personas fueron encuestadas antes del mediodia
las personas fueron encuestadas por el canal zz

pero como siempre, muchas veces lo correcto suena mal, y lo que suena bien es incorrecto,
por eso al brasilero (supongo que en Argentina sucede lo mismo) en los concursos siempre lo bochan en idioma portugues.

Fijate en el siguiente link como en un ejemplo parecido, el redactor no mantiene un criterio,
en el primer renglon escribe el verbo en singular y en el siguente en plural y asi pasa varias veces,
y ojo!! es de españa, y aqui termina esto para mí antes de que mi amigo Fede diga que estamos al pedo, jajaja!!!


http://www.psicologoencasa.es/noticiade ... %20traumas

Un cordial saludo
Nombre: Horacio
Edad: 57
Sexo: M
Estado civil: Soltero
Hijos: 1
Lugar de procedencia: General Pacheco- Buenos Aires
Lugar donde vive actualmente: Brasilia-DF
Tipo de residencia: residente permanente

Ubuntu - Hakuna Matata

Raidner
Mensajes: 346
Registrado: Mié Ene 04, 2012 10:17 pm

Re: Escrevendo como se estivéssemos conversando no Rio

Mensaje por Raidner » Jue Ago 15, 2013 10:46 pm

Nicolás, na primeira vez, não havia reparado o verbo ir. Quando corrigi a conjugação do verbo ir, não percebi que havia cometido outro erro (usando os recursos de "copiar" e "colar" do computador), ao conjugar o verbo frequentar.

Fiquemos assim:

"...a maioria das pessoas que frequenta essa parte do fórum vai entender...."

Falha (da falta) de revisão. Espero não ter errado (de novo).
Abraços

Nicolas13
Mensajes: 27
Registrado: Dom Feb 17, 2013 2:10 am
Ubicación: BAires

Re: Escrevendo como se estivéssemos conversando no Rio

Mensaje por Nicolas13 » Jue Ago 15, 2013 11:27 pm

Bueno obviamente, ya pasaron muchos años dde que estudié lengua.. y uno se termina acostumbrando a como uno habla y en mucho casos se olvida de lo que está correcto. Pero nooo Horacio, que no se diga que estamos al pedo!! en todo caso estamos estudiando portugués... :D y gracias por las aclaraciones de que en castellano tb es así!

Flávio, obrigadíssimo mais uma vez! agora tá mais que claro! vou ter que dobrar minha atenção com isso pra não errar mais..
Abraço, e até mais!
Nombre: Nicolás
Edad: 27
Sexo: Masculino
Estado civil: Soltero
Hijos: No
Lugar de procedencia: C.A.B.A.
Lugar donde vivo actualmente: Buenos Aires
Tipo de residencia: nacionalidade brasileira (jus sanguinis)

Avatar de Usuario
LauraDC
Mensajes: 81
Registrado: Mié Jun 12, 2013 12:15 pm

Re: Escrevendo como se estivéssemos conversando no Rio

Mensaje por LauraDC » Jue Sep 05, 2013 2:36 pm

Oi Flávio!
Estou com umas dúvidas da forma certa de escrever e falar estes exemplos seguintes (e outros semelhantes)

Exemplos:
Olha quem veio-me visitar... ou... olha quem me veio visitar
Roberto você me lembra?.... ou Roberto você lembra-me?
A gente se esta sentindo mal... ou a gente está sentendo-se mal
A gente se acostuma ao clima... ou a gente acostuma-se ao clima
O governo nos leva à desgraça... ou o governo leva-nos a desgraça
João me ofreceu uma cerveja... ou João ofreceu-me uma cerveja
Neste foro se trata do ensino da língua portuguêsa... ou neste foro trata-se do ensino da língua portuguêsa

Desejo saber se há alguma regra. Porque acho que às vezes se escreve antes ou depois. E não sei pesquisar o modo certo! Em que ou quais situações se utiliza (utiliza-se) uma forma ou outra forma. Qual é a maneira correta? Há difereça com a língua escrita e língua falada? Se escreve de uma forma e se fala de outra? Há regras fixas?

Ate mais logo!
Muito obrigada!
Laura.
Nombre: Laura
Edad: 45 años
Sexo: femenino
Estado civil: soltera
Hijos: ninguno
Lugar de procedencia: Mar del Plata
Lugar donde vivo actualmente: Maceió
Tipo de Residencia: permanente

Responder

Volver a “Aprendiendo Portugués”

¿Quién está conectado?

Usuarios navegando por este Foro: No hay usuarios registrados visitando el Foro y 2 invitados